Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/980
Tipo: Dissertação
Título: Redes e fluxos de informações: o consumo de alimentos orgânicos no Rio de Janeiro
Autor(es): Meth, Clara de Mello e Souza
Primeiro orientador: Cavalcanti, Marcos do Couto Bezerra
Membro da banca: Marteleto, Regina Maria
Membro da banca: Tavares, Frederico
Resumo: A partir dos anos 80, a produção e o consumo de alimentos orgânicos têm crescido no Rio de Janeiro como prática que promove a sustentabilidade e a saúde. O objetivo desta dissertação foi investigar os fluxos de informações na composição de uma rede de atores conscientes sobre alimentação orgânica, que tem o potencial de influenciar atitudes e comportamentos novos visando o bem-estar do indivíduo, da sociedade e do planeta. A compreensão das transferências de informações e das implicações e obstáculos na transmissão é fundamental para a inovação social. Assim, usando o método qualitativo, foram realizadas seis entrevistas semi-estruturadas em profundidade com consumidores de orgânicos e intermediários deste setor, como uma empresa de assinatura de orgânicos. Os consumidores de orgânicos estudado no Rio de Janeiro constitui-se por pessoas que trocam informações e produtos. Estes são influenciados tanto por laços fortes como família e amigos quanto por laços fracos com figuras públicas, profissionais de saúde, jornalistas, professores, colegas de trabalho, autores, feirantes e instituições. Em geral, os consumidores buscam informações específicas em função de demandas. Seu papel no fluxo de informação é mais de receber que de encaminhar, revelando uma atitude passiva. Os grupos de Whatsapp têm papel significativo no fluxo de informações. Outros meios de fluxo de informação incluem o Facebook, Skype, mídias, publicações populares e científicas. A circulação de alimentos orgânicos se dá através de feiras e empresas. Apesar de uma grande demanda de mercado, este ainda não atende bem em termos de preço, variedade e acesso. Tanto esta rede e seu fluxo de informações quanto as experiências pessoais da história de vida dos entrevistados foram significativas para promover uma mudança de consumo e de hábitos comportamentais. Tais hábitos incluem consumir e distribuir/vender alimentos orgânicos, buscar e transmitir informações e organizar-se para ter acesso a alimentação saudável fora de casa. A motivação mais recorrente diz respeito a preocupações referente a saúde a nível individual e familiar. Os entrevistados que demonstraram motivações ligadas a questões ambientais, também se dedicam a distribuição e venda de alimentos orgânicos. A alimentação e a escolha da dieta influenciam a socialização e os relacionamentos familiares e entre amigos.
Abstract: Since the 1980s, organic food production and consumption has increased in Rio de Janeiro. The aim of this dissertation is to investigate information flows in a network of organic food consumers. The understanding of information transfers and its implications and barriers of transmission is crucial to social innovation, given its potential to influence new attitudes and behaviors. Using the qualitative research method, six semi-structured in-depth interviews were conducted. The recurring motivation to consume organic food relates to health concerns at the individual and family level. Participants who demonstrated motivations related to environmental issues are also engaged in the distribution and sale of organic foods. Consumers are influenced by strong ties such as family and friends as well as by weak ties such as public figures, health professionals, journalists, teachers, co-workers, authors, and institutions. In general, consumers look for specific information, depending on their needs. The individual’s role in the flow of information is primarily as a receiver, rather than a sender. WhatsApp is one of the main channels used to exchange information. Other channels of information flow include Facebook, and Skype. Organic food in Rio de Janeiro can be found at fairs and companies. Despite a great market demand, the organic industry still does not serve well in terms of price and variety, making the access to organic food difficult. Both the network and the flow of information, and the personal experiences of the interviewees' life were significant to promote a change in consumption and behavioral habits. Such habits include consuming and distributing/selling organic foods, searching for and transmitting information, and the challenge to have access to healthy food outside the home. Food and diet choice influences socialization, family, and other relationships.
Palavras-chave: Redes sociais
Ciência da Informação
Alimentos orgânicos
Social networks
Information Science
Organic Food
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::CIENCIA DA INFORMACAO
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia/Universidade Federal do Rio de Janeiro
Sigla da instituição: IBICT/UFRJ
Departamento: Escola de Comunicação
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/980
Data do documento: 6-Jun-2018
Aparece nas coleções:Teses e Dissertações do PPGCI IBICT-UFRJ

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Clara de Mello e Souza Meth - Mestrado 2018.pdf1,65 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons