Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/951
Tipo: Tese
Título: O cinema brasileiro da retomada: a auto-sustentabilidade é possível?
Autor(es): Galvão, Alexander Patêz
Primeiro orientador: Issberner, Liz-Rejane
Membro da banca: Cocco, Giuseppe Mario
Membro da banca: Bentes, Ivana
Membro da banca: González de Gómez, Maria Nélida
Membro da banca: Albagli, Sarita
Resumo: Este trabalho busca analisar as políticas públicas para o audiovisual no Brasil a partir da década de 1990 e, mais especificamente, as políticas de fomento à produção de longas metragens. Para tanto, foram utilizados referenciais comumente presentes nos estudos relativos à Ciência da Informação, tais como as políticas de informação e o próprio conceito de informação, e à Ciência Econômica – particularidades dos bens informacionais quando transacionados no mercado. Tais referenciais conferem sustentação à consideração da informação (e dos bens de informação) como elemento central da dinâmica econômica mundial. As políticas públicas para o audiovisual no Brasil são analisadas a partir de dois eixos: políticas de fomento por um lado e políticas de regulação de mercado, por outro lado – eixos a partir das quais é possível a comparação com políticas públicas de outros países. A análise tem como base a construção teórica de uma cadeia de valor do setor audiovisual (denominada cadeia ramificada) desenvolvida como ferramenta analítica capaz de revelar os gargalos à circulação do produto e ao fluxo financeiro no setor, assim como as estratégias de expansão e o exercício de poder econômico das empresas que aí atuam. Como resultado do trabalho, tem-se: (i) a constatação de que a política pública brasileira voltada ao setor audiovisual a partir do início da década de 1990 não integrou as reflexões, comuns nos países desenvolvidos, sobre a potencialidade socioeconômica associada à maior relevância da informação e dos produtos de informação na dinâmica da economia e das sociedades; (ii) que a natureza e o escopo das políticas de fomento implementadas está relacionado à constatação da incapacidade do Estado brasileiro em promover políticas de regulação de mercado que viessem a ampliar o espaço para o produto audiovisual nacional, e; (iii) que o “viés cinematográfico” da política pública, tendo o fomento público à produção de longas metragens como base, foi se consolidando diante dos limites políticos do Estado em abarcar outros segmentos do mercado audiovisual, especialmente os televisivos, no seio das ações voltada para o setor.
Abstract: This work covers the analysis of the public policies for the audiovisual sector in Brazil since the 1990s and, more specifically, the production of feature film policies. To that purpose, several references related to Information Science were used, such as information policies and the concept of information itself, as well as references from Economic Science - particularities of informational goods when transacted in the market, for example. These references take the consideration of information (and information goods) as the central element of world economic dynamics. The Brazilian audiovisual public policies are analysed from two axes: promotion policies based on public subsidies and regulation policies – axes when used make possible to compare policies between countries. The analysis is based on the theoretical construction of an audiovisual sector value chain, denominated the branched audiovisual chain, developed as an analytical tool that intents to show the product circulation bottlenecks and financial flow in the sector, as well as the expansion strategies and the exercise of economic power of the companies acting in this field. As a result of the work, we have: (i) the observation that the Brazilian public policy focused on the audiovisual sector since the beginning of the 1990s did not integrate the reflections, common in developed countries, about the socioeconomic potential associated to the greater relevance of the information and information products in the dynamics of the economy and societies; (ii) that the understanding of the development policies implemented is related to the inability of the Brazilian State to promote market regulation policies that would expand the space for the national product, and; (iii) that the "cinematographic bias" of public policy, with public subsidies for the production of feature films as a base, has been consolidated in the face of the political limitations of the State in covering other segments of the audiovisual market, especially television, in the heart of the actions directed towards the sector.
Palavras-chave: Economia do Audiovisual
Cinema e Televisão no Brasil
Economia da Mídia
Economia da Informação
Economia da Cultura
Ciência da Informação
Cinema Brasileiro
Cadeia de Valor do Audiovisual
Audiovisual Economics
Media Economics
Information Economy
Economy of Culture
Information Science
Cinema and Television in Brazil
Audiovisual Value Chain
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::CIENCIA DA INFORMACAO
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia/Universidade Federal do Rio de Janeiro
Sigla da instituição: IBICT/UFRJ
Departamento: Escola de Comunicação
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/951
Data do documento: 28-Ago-2003
Aparece nas coleções:Teses e Dissertações do PPGCI IBICT-UFRJ

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese doutorado alex.pdf2,89 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons