Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/946
Tipo: Tese
Título: Práticas de má conduta na comunicação científica e o fluxo editorial: um estudo com editores de revistas científicas SciELO
Autor(es): Damasio, Edilson
Primeiro orientador: Leta, Jacqueline
Membro da banca: Oliveira, Eloísa Príncipe de
Membro da banca: Vasconcelos, Sonia Maria Ramos de
Membro da banca: Gouveia, Fabio Castro
Membro da banca: Pessanha, Charles Freitas
Resumo: Mudanças no forma de comunicação entre os cientistas ocorreram ao longo dos últimos séculos, mas a publicação em periódicos especializados, já no século XX, tornou-se o formato padrão e central da ciência. Em paralelo ao aumento exponencial da produção em periódicos, observou-se também um aumento no número de casos de má conduta, o que levou a uma série de iniciativas mundiais para auxiliar a elaboração de politicas e a formação de especialistas no tema, também tratado de Integridade em Pesquisa. A despeito da literatura crescente neste tema, ainda há poucos estudos sobre a responsabilização dos diferentes atores, a saber, autores, revisores e editores, em casos de má conduta. Considerando a relevância do tema e a escassez de literatura específica, este estudo parte da seguinte questão: como os editores de revistas científicas, brasileiras e de outros países da América Latina, percebem as diferentes práticas de má conduta no processo editorial? Outras questões mais específicas também direcionaram o estudo: Em que momento do fluxo editorial são identificadas as más condutas? Quais os procedimentos das revistas? As revistas têm políticas editoriais específicas para lidar com a prevenção e detecção de más condutas? Como definem plágio e outras más condutas? Qual a familiaridade dos editores com práticas de má conduta? Qual a responsabilização de autores, revisores e editores? Para responder estas questões, o estudo, de natureza quanti-qualitativa, focou na população de editores de revistas científicas das maiores coleções da Plataforma SciELO, ou seja, Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Cuba e México. Um questionário online foi enviado para os 858 editores-chefes, dos quais 209 retornaram. A análise das respostas utilizou tratamento estatístico para descrever as variáveis extraídas das questões fechadas e também análise de conteúdo, segundo Bardin, das questões abertas. Um primeiro conjunto de resultados mostra que 80% dos editores brasileiros e latino americanos indicam que as más condutas raramente ou nunca ocorreram em suas revistas; o momento mais frequente de identificação das más condutas é na análise dos pareceristas e os procedimentos mais frequentes é de rejeitar o artigo. Também identificou-se que a maior parte das revistas participantes do estudo têm políticas específicas de prevenção, mas 36,6% das revistas brasileiras e 24,7% das latino americanas indicaram que não as possuem. Sobre a familiaridade com algumas práticas, o editores brasileiros e latino americanos são mais familiarizados com envio simultâneo de trabalhos, conflitos de interesse e plágio. Sobre o conhecimento sobre plágio, autoplágio e redundância, identificou-se que a maior parte dos editores apresenta a definição uma clássica para estas práticas, ou seja, demonstram conhecimento sobre um conceito do senso comum. Por fim, sobre as responsabilidades nas ocorrências de fabricação, falsificação e plágio, a maior parte dos editores aponta que os autores são totalmente responsáveis, enquanto outros, especialmente os editores latino-americanos, delegam aos revisores esta responsabilidade. O trabalho, que não é exaustivo, teve o objetivo de primeiramente adentrar em temática ainda não explorada e buscar uma melhor compreensão sobre a relação entre questões éticas da comunicação cientifica, o fluxo editorial e os editores, cujas informações, espera-se, possam servir de referência para pesquisas e estudos futuros.
Abstract: The way scientists communicate has changed over the last few centuries; however publication in specialized journals has become the standard and central format of science since the twentieth century. Parallel to the exponential increase of journals production, there has also been an increase in the number of misconduct cases, which has led to a series of global initiatives to assist with both, policy development and the training of experts on this theme, which is also referred to as Integrity in Research. In spite of the growing literature on this subject, there are still few studies on the accountability of the different actors, that is, authors, reviewers and editors, in misconduct cases. Considering the relevance of such a theme and the scarcity of specific literature, this study starts with the following question: how do the editors of scientific journals from Brazil and other Latin American countries perceive the different misconduct practices in the editorial process? Other more specific questions also directed the present study: at what point in the editorial flow are the misconducts identified? What are the procedures of the magazines? Do magazines have specific editorial policies to deal with the prevention and detection of misconduct? How do they define plagiarism and other misconducts? What is the publishers' familiarity with misconduct practices? What is the responsibility of authors, reviewers and editors? In order to answer such questions, this quantitative qualitative study focused on the population of scientific journals editors of the largest collections of the SciELO Platform, that is, Brazil, Argentina, Chile, Colombia, Cuba and Mexico. An online questionnaire was sent to the 858 chief editors, of which 209 returned. A statistical analysis was carried out to describe the variables extracted from the closed questions, in addition to the content of the open questions, according to Bardin. A first set of the results shows that 80% of Brazilian and Latin American publishers indicate that misconduct has rarely or never occurred in their journal. The analysis of the reviewers is the most frequent moment for identifying the misconducts; rejecting the article is the most frequent procedure. It was also seen that most of the journals participating in the study have specific prevention policies; however 36.6% of the Brazilian journals and 24.7% of the Latin American ones said that they do not. Concerning familiarity with some practices, Brazilian and Latin American publishers are more familiar with the simultaneous submission of papers, conflicts of interest, and plagiarism as well. Considering knowledge on plagiarism, self-plagiarism and redundancy, it was seen that most of the editors have the classic definition for these practices, that is, they show knowledge about a common sense concept. Finally, regarding responsibility for Fabrication, Falsification and Plagiarism, most editors point out that the authors are fully responsible, whereas others, especially Latin American publishers, delegate this responsibility to the reviewers. This non-exhaustive study had as its main purpose to enter into a not yet explored topic, in addition to seek a better understanding on the relationship among the ethical issues of scientific communication, the editorial flow and the editors, whose information is expected to be used for further research and studies.
Palavras-chave: Revistas científicas
Integridade em pesquisa
Editores – Más condutas
Responsabilidades – Integridade em pesquisa
América Latina – Integridade em pesquisa
Plágio, Fabricação e Falsificação
Ciência da Informação
Scientific journals
Research integrity
Editors – Misconducts
Responsibilities – Research integrity
Latin America – Research integrity
Fabrication, Falsification and Plagiarism
Information Science
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::CIENCIA DA INFORMACAO
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia/Universidade Federal do Rio de Janeiro
Sigla da instituição: IBICT/UFRJ
Departamento: Escola de Comunicação
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/946
Data do documento: 14-Mar-2017
Aparece nas coleções:Teses e Dissertações do PPGCI IBICT-UFRJ

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Damasio_Tese_IBICT_2017.pdf4,24 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons