Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/930
Tipo: Trabalho apresentado em evento
Título: Uma Análise Quantitativa dos Repositórios Digitais Brasileiros
Autor(es): Lameira, Ana
Oliveira, Franciane
Ramos, Thaisa
Carvalho-Segundo, Washington
Resumo: Resultados Foram identi cados 186 repositórios distribuídos por 147 instituições, que somaram pouco mais de 1 milhão e 900 mil documentos. As análises efetuadas foram relacionadas sempre ao número de documentos agrupados em cada classe, que são as seguintes: 1. tipo de repositório, 2. concentração geográ ca, 3. plataforma e versão do software utilizado, e 4. formato da mídia armazenada. No quesito "tipo de repositório", as bases foram agrupadas em: biblioteca digital, catálogo, repositório comum, diretório, repositório institucional, objetos educacionais, preservação de acervo histórico, reposi- tório temático, base de teses e dissertações e repositório de trabalhos de conclusão de curso. Constatou-se que 51,5% dos documentos estavam abrigados em repositórios institucionais, 28,9% em bibliotecas digi- tais, 12,7% em bases exclusivas de teses e dissertações, e o percentual restante (6,9%) está distribuído pelos demais tipos de repositórios (Figura 1). Com relação a concentração geográ ca dos documentos nas regiões brasileiras, e levando-se em conta o índice da razão entre número de documentos, das bases em geral, por cada 1000 habitantes, foi obtido o grá co da (Figura 2), que mostra que há uma grande disparidade entre as regiões norte/nordeste e centro-oeste/sudeste/sul. Destaca-se a produção disponível em repositórios digitais na região centro- oeste. Para comparar as regiões a nível de produção disponível em repositórios institucionais, considerou-se somente a população de doutores envolvidos com atividades de pesquisa e (fonte: Plataforma Lattes (2016)) e o número de doutores residentes em Portugal (Fonte: NETO et al. 2014). Mediu-se o total de documentos portugueses indexados pelo portal RCAAP (2016) e a razão entre o número de documentos abrigados em repositórios institucionais e o número de doutores de cada região ou país. O resultado pode ser observado na Figura 3, com destaque para as regiões brasileiras centro-oeste, sul, sudeste e Portugal. Os formatos encontrados foram classi cados em: imagem, texto, planilha, vídeo, código fonte, áudio, tipo indeterminado e apresentação. Para RIs, observou-se a seguinte classi cação: 75,9% são textos, 12,6% são imagens, 10,7% indeterminados e os 0,8% restantes são distribuídos pelos demais tipos. Já entre as bases de teses e dissertações, 90,3% foram classi cados como tipo texto, 7,3% como código (html, rdf etc) e os restantes 2,4% estão distribuídos pelos demais tipos. Com relação as plataformas utilizadas, 82,4% dos documentos são abrigados em bases que utilizam DSpace, 5,74% estão em bases de desenvolvimento próprio, 3,63% estão em sistemas TEDE, 3,59% em Nou-Rau, 3,14% em Joomla, 1,37% em Aleph e 0,08% em SophiA.
Abstract: N/A
Palavras-chave: Repositórios Digitais
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::CIENCIA DA INFORMACAO::BIBLIOTECONOMIA::PROCESSOS DE DISSEMINACAO DA INFORMACAO
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Insitituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia
Sigla da instituição: IBICT
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/930
Data do documento: Nov-2016
Aparece nas coleções:Trabalhos apresentados em Congresso no Exterior

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
resumo-poster-confoa.pdf129,3 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.